top of page

Apresentação do livro: “Verdades sem medo, Crónicas Violência, Tráfico e Crime Organizado”

Apresentação do livro de Sérgio Oliveira


“Verdades sem medo, Crónicas Violência, Tráfico e Crime Organizado” é o nome do livro de Sérgio Oliveira apresentado no dia 29 de abril, na Biblioteca Municipal Florbela Espanca. Além do autor, a sessão contou com a participação do ministro da Saúde, Manuel Pizarro, da presidente da Câmara Municipal, Luísa Salgueiro, e do vereador da Cultura, Fernando Rocha. Com prefácio de João Goulão, o livro conta com textos sobre redes mafiosas, tráfico de crianças e mulheres, negócio das drogas e tráfico de órgãos humanos, crime organizado, violência e terrorismo, negócio das guerras e comércio de armas, fome, escravatura, violação e maus-tratos, e hipocrisia da violação dos direitos humanos. Segundo o autor, “é um livro que denuncia os crimes contra a humanidade, na esperança de um mundo de paz, justiça, liberdade e igualdade de direitos entre todos os povos e nações do mundo”. Sérgio Oliveira nasceu no Porto em 1949, trabalha e vive em Matosinhos. Desde muito cedo participou nas lutas juvenis, associativas, políticas e sindicais. Foi soldado, cumpriu o serviço militar na Guiné-Bissau, onde criou e participou num programa de rádio clandestino em Bedanda, foi preso e torturado pela polícia política do regime. Foi um autodidata, leu e estudou sobre o direito e a justiça. Escreveu textos, quadras e poesia popular. Participou ativamente na Revolução de abril, foi candidato a deputado à Assembleia Constituinte, técnico de contratação coletiva no sindicato dos metalúrgicos, Sindicato dos químicos e do Sindicato dos Escritórios e Serviços. Iniciou os estudos como trabalhador-estudante. Frequentou o curso de Direito na Universidade Livre, curso que nunca viria a concluir. Participou na luta contra a corrupção e ilegalidades da Universidade Livre, que viria a ser encerrada. Foi presidente da Comissão Pró-Faculdade de Direito da Universidade do Porto. Trabalhou nas publicações especiais nos jornais o Primeiro de Janeiro e o Comércio do Porto. Cronista na revista (sem) Equívocos, fundou, com outros profissionais jornalistas, a Newscoop – Cooperativa de Informação e Comunicação, que detém a revista Dependências que ainda hoje dirige. Sócio da Associação dos Jornalistas e Homens de Letras do Porto, é Membro de Honra da Universidade de Ciências Médicas de Guantánamo de Cuba.

bottom of page