top of page

Centro de inovação tecnológico com luz verde para avançar

A Câmara Municipal de Matosinhos alterou a delimitação da Reserva Ecológica Nacional (REN) para viabilizar a construção do centro de inovação tecnológico "Fuse Valley", segundo publicação desta sexta-feira, dia 16 de junho, em Diário da República



A proposta de alteração da delimitação da REN para o município "prevê uma exclusão, com 2.061,42 metros quadrados, na tipologia "Áreas de Instabilidade de Vertentes" da carta da REN em vigor, e que visa viabilizar a implementação do projeto de loteamento 'Fuse Valley'", refere a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N) na publicação.

O centro de inovação tecnológica "Fuse Valley", em Leça do Balio, no concelho de Matosinhos, será composto por 24 edifícios que vão albergar escritórios, habitações, um hotel e vários serviços.

A Autarquia estima que a criação deste empreendimento crie 12 mil postos de trabalho qualificado no setor terciário e das tecnologias de informação e que a "significativa" criação de emprego contribua para a eventual fixação de novos residentes.

Além disso, e ainda de acordo com informação camarária, o projeto concretiza, através de investimento privado, a requalificação do nó do Chantre - entrada no concelho de Matosinhos a partir do centro da Maia - e promove novos acessos da Estrada Nacional 13 (EN13) à malha urbana municipal.

A isto acresce que, através das cedências previstas no projeto para áreas destinadas a espaços verdes de utilização coletiva (cerca de 4,5 hectares nas margens do rio Leça), faz-se o enquadramento e conexão do Parque da Paz e do Corredor Verde do Leça (ciclovia) com o território envolvente.

Já em Cannes, em declarações aos jornalistas, à margem do evento imobiliário internacional MIPIM em março, o diretor executivo do Castro Group, Paulo Castro, disse estimar que entre o segundo semestre de 2026 e janeiro de 2027 a primeira fase do projeto, orçada em cerca de 200 milhões de euros (investimento partilhado com a Farfetch), esteja concluída.

Já as duas fases restantes do projeto deverão estar concluídas entre 2027 e 2030.

Parte "substancial" dos escritórios será ocupada pela Farfetch, enquanto o hotel vai ter 70 quartos e ocupar uma área de 12 mil metros quadrados, para onde estão previstos vários espaços comuns como salas para eventos, congressos, espaços de 'coworking' e spa.

Comentarios


bottom of page