Corredor do Rio Leça

1.º aniversário da associação intermunicipal cujo objetivo é a recuperação de um rio

A Associação de Municípios Corredor do Rio Leça assinalou ontem o seu primeiro aniversário, numa cerimónia que decorreu na sua sede, no Centro Empresarial da Lionesa.

Presentes estiveram a Presidente da Câmara de Matosinhos, Luísa Salgueiro, o Presidente da autarquia de Santo Tirso, Alberto Costa, a Vice-presidente da Câmara de Valongo, Ana Maria Martins, a Vereadora do Ambiente de Matosinhos, Manuela Álvares, a Vereadora da Maia, Marta Peneda, a Vereadora de Santo Tirso, Ana Maria Ferreira, o presidente da união das freguesias de Custóias, Leça do Balio e Guifões, Pedro Gonçalves, o presidente da união das freguesias de S. Mamede de Infesta e Senhora da Hora, Leonardo Fernandes, e o Vice-presidente da Agência Portuguesa do Ambiente, José Pimenta Machado. Constituída a 31 de maio de 2021, a Associação de Municípios Corredor do Rio Leça é a primeira associação intermunicipal do país a ter como objetivo a recuperação de um rio e que junta os municípios de Santo Tirso, Valongo, Maia e Matosinhos. O rio Leça, que nasce em Santo Tirso e desagua em Matosinhos, tem uma extensão de 45 quilómetros. Durante várias décadas, foi considerado um dos rios mais poluídos da Europa. A Associação de Municípios Corredor do Rio Leça dedica-se à gestão, execução e manutenção do Plano Estratégico de Recuperação do Rio Leça 2020/2030, com um orçamento total previsto de 28 milhões de euros e com recurso a financiamento comunitário. Os principais objetivos da Associação de Municípios Corredor do Rio Leça são a recuperação ecológica do rio e a valorização paisagística, cultural e socioeconómica do território que ele atravessa, desde a nascente até à foz, bem como, a promoção de conhecimento, novas oportunidades de mobilidade suave, lazer e estadia ao longo do rio, sensibilização ambiental, valorização do contacto com a natureza, dos serviços de ecossistema e da vida ao ar livre. O Município de Matosinhos apresentou o “Corredor Verde do Leça”, um projeto ambiental e de mobilidade, com um forte cariz cultural, económico, turístico e social, que vai permitir a valorização paisagística e ambiental do rio Leça e das suas margens, e contribuir para a coesão territorial, unindo o litoral ao interior, através de um canal próprio destinado à utilização dos modos suaves de transporte. Além da requalificação e revitalização das margens do rio Leça e da sua envolvência, o projeto prevê a construção de um percurso pedestre e ciclável ao longo das suas margens, criando uma alternativa de mobilidade para as deslocações quotidianas, a pé e de bicicleta, entre as zonas residenciais e as zonas empresariais localizadas na sua envolvente. O município de Matosinhos acredita que o “Corredor Verde do Leça” será o primeiro passo para a completa despoluição do curso fluvial e para a valorização paisagística das margens do rio, transformando-as numa área de lazer e devolvendo-as à fruição da população. Cofinanciado pelo FEDER, através do programa comunitário Portugal 2020/Norte 2020, o projeto será executado em três fases, num total de 18 km intervencionados. A primeira fase, entre as pontes de Moreira e da Pedra (incluindo a ligação a Picoutos), numa extensão de 6, 9 km, está já concluída e será inaugurada no próximo sábado. O investimento foi de 7,2 milhões de euros e abrangeu a construção de uma ciclovia e de percursos pedonais, entre outras melhorias, aumentando a visibilidade do rio Leça e dos seus focos de poluição, promovendo um maior contacto com a natureza e novas oportunidade de mobilidade ao longo do rio. Segue-se a segunda fase, que compreende as pontes de Moreira e do Carro, numa extensão de 6,1 km. Com um prazo de execução de 18 meses, a empreitada está orçada em cinco milhões de euros. A terceira fase, entre a Ponte do Carro e o Porto de Leixões/ Foz do Rio Leça, com ligações ao centro de Matosinhos e de Leça da Palmeira, terá uma extensão de 4,7 km.