Exponor: Alguns dos setores mais exportadores de Portugal reúnem-se por três dias

De 10 a 12 de novembro, a Exponor é o palco privilegiado de quatro eventos especializados, que decorrem em simultâneo. Muitas novidades, tendências e inovações tecnológicas nas indústrias do calçado, couro, madeira e têxteis vão estar em destaque na Maquishoes, Expocouro, FIMAP e Maquitex


Durante três dias, a Exponor recebe quatro dos setores mais exportadores de Portugal, em simultâneo, na Maquishoes – Feira de Máquinas, Tecnologia e Acessórios para a Indústria do Calçado, Expocouro – Feira Internacional da Pele, FIMAP – Feira Internacional de Máquinas, Acessórios e Serviços para a Indústria da Madeira, Silvicultura e Exploração Florestal e MAQUITEX – Exposição de Máquinas, Tecnologia e Acessórios para a Indústria Têxtil, da Confeção, Vestuário e Bordados, para apresentarem as novas tendências e inovações tecnológicas, através de dinâmicas e exposições para demonstrar o que de melhor se faz no nosso país.

A indústria do calçado afirma-se como um dos principais setores estratégicos e basilares da economia nacional. No último ano, o volume de negócios do setor ultrapassou os 2 mil milhões de euros, empregando cerca 40 mil trabalhadores. As exportações, em 2021, aumentaram 16,4% face ao ano anterior, resultando em 69 milhões de pares de sapatos exportados para todo o mundo.

Também o couro é uma das matérias-primas mais utilizadas no calçado, em Portugal. Este é o segmento mais valorizado e em que a indústria nacional mais aposta, ocupando a 9ª posição entre os maiores exportadores mundiais. Apesar destes resultados, segundo Alcino Martinho, responsável pelo CTIC – Centro Tecnológico das Indústrias do Couro, há falta de profissionais no setor, especialmente no que diz respeito à produção. “Ainda que esta indústria careça de mão-de-obra, é importante reforçar a formação e partilha de informação junto dos profissionais, não só aos técnicos, mas, também, alargar essa formação a diferentes cargos empresariais de modo a facilitar a, cada vez mais forte, internacionalização do setor”, defende Alcino Martinho

Sob o mote “Make it Visible”, a Maquishoes e Expocouro pretende refletir o presente e antecipar o futuro do setor, apresentando novos materiais e tecnologias. Estas feiras, além de exporem novas soluções tecnológicas para a indústria, vão promover um programa de conferências focadas numa indústria mais sustentável.

“Live the power of the industry” é o tema da 21ª edição da FIMAP – Feira Internacional de Máquinas, Acessórios e Serviços para a Indústria da Madeira, Silvicultura e Exploração Florestal, o maior evento nacional na indústria da madeira, silvicultura e exploração florestal, que junta este setor e a alta tecnologia.

De momento, este setor tem dois grandes desafios, reconhece Maria do Carmo Moreira, responsável pela AIMMP - Associação das Indústrias de Madeira e Mobiliário de Portugal. A escassez de matéria-prima é uma questão mundial, mas em Portugal, esta situação é mais grave devido à ausência de política florestal nacional, que condiciona toda a cadeia de valor do setor. “A escassez de mão de obra é também um enorme desafio que a indústria enfrenta em Portugal e onde as Indústrias de Madeira e Mobiliário não são exceção”.

A Formação Profissional é uma resposta às necessidades do setor, por isso, em parceria com o CFPIMM – Centro de Formação Profissional das Indústrias de Madeira e Mobiliário, a AIMMP trabalha no sentido de dar resposta às necessidades das empresas. Segundo Maria do Carmo Moreira, “sentimos uma carência formativa ao nível da gestão, na medida em que, muitas das empresas do setor são pequenas e muitas delas ligadas a estruturas familiares”.

Segundo a AIMMAP - Associação dos Industriais Metalúrgicos, Metalomecânicos e Afins de Portugal, parceira da Exponor no certame, afirma que, ao longo dos últimos três anos, o setor metalúrgico e metalomecânico tem superado vários obstáculos, diversificando mercados e continuando a crescer. Em 2021, o setor, que representa cerca de um terço da indústria transformadora nacional, no que diz respeito ao número de empresas, volume de negócios e número de trabalhadores, atingiu um recorde anual de 19,9 mil milhões de euros em exportações. Segundo Pedro Azevedo, responsável pela AIMMAP, “a FIMAP é, sem dúvida, uma ótima oportunidade para ajudar a colocar a indústria nacional no campeonato das indústrias mais avançadas e desenvolvidas a nível mundial”.

Nesta edição, os visitantes terão a oportunidade de participar numa experiência, assente numa instalação sensorial em que a madeira é o elemento principal. O “Espaço Conferências” é um espaço onde as mentes brilhantes do setor da madeira irão participar em talks sobre diversos temas relacionados com o setor.

A MAQUITEX - Exposição Internacional de Máquinas, Tecnologia e Acessórios para a Indústria Têxtil, de Confeção, Vestuário e Bordados é o quarto dos certames que irão decorrer simultaneamente na Exponor. Inserida no setor têxtil, acompanhando e promovendo o crescimento exponencial do setor - cujo volume de negócios, em 2021, ultrapassou os 7 mil milhões de euros -, a feira regressa para a sua 18ª edição, cinco anos depois, com várias novidades e condições para os profissionais medirem o pulso do setor.

Nesta edição, estarão em exposição várias inovações no mundo da tecnologia, máquinas, equipamentos, acessórios e serviços, disponíveis a todos os profissionais do mercado têxtil, colocadas em destaque por empresas de referência como Alphashirt, Cheek to Cheek, Lectra e Wondermac.

Este evento é um ponto de encontro já reconhecido para a apresentação de novas tecnologias, equipamentos e materiais inovadores numa indústria que, embora tradicional, tem verificado em Portugal um nível de desenvolvimento tecnológico dos melhores do mundo.