top of page

Formação de maquinista ferroviário

Já arrancou a formação para 15 ex-trabalhadores da GALP


Quinze trabalhadores desempregados da refinaria da Galp, em Matosinhos, cujas operações terminaram em 2021, iniciaram uma formação para se tornarem maquinistas ferroviários. Esta formação faz parte de um desejo dos ex-trabalhadores da refinaria, numa perspetiva de reconversão profissional, sendo apoiada por fundos europeus, Fundo para a Transição Justa. A Câmara Municipal de Matosinhos, em conjunto com a CCDRN (Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte), desenvolveu esforços para a concretização deste Fundo que conta globalmente com 60 milhões de euros para apoiar a criação de novos empregos, a requalificação e formação, bem como compensação do impacto da refinaria na economia local. A formação de maquinista ferroviário está a ser administrada pela Fernave — Formação Técnica, Psicologia Aplicada e Consultadoria em Transportes e Portos e vai durar oito meses. O objetivo é transformar estes 15 antigos trabalhadores da refinaria em futuros maquinistas ferroviários. Os formandos vão receber rendimento ao longo da formação. A par desta formação, nas próximas semanas serão apresentadas as vertentes de apoio à criação da próprio emprego e formação. No arranque da formação de Maquinista Ferroviário, esteve presente o Secretário de Estado do Trabalho, Miguel Fontes, acompanhado por uma comitiva de eurodeputados que promoveram uma jornada de acompanhamento da execução de fundos comunitários, o vice-presidente de Câmara de Matosinhos, Carlos Mouta, bem como os responsáveis da CP (Comboios de Portugal), IEFP (Instituto de Emprego e Formação Profissional) e Fernave.

Comentarios


bottom of page