top of page

Matosinhos alcança recorde de Bandeiras Azuis

Com um recorde de 16 Bandeiras Azuis atribuídas, Matosinhos é o 3º concelho do país e o 2º da região Norte com mais Bandeiras, contribuindo para que esta região seja mesmo a mais galardoada do país



As praias do município receberam ainda 9 Bandeiras “Qualidade de Ouro” atribuídas pela Quercus. Os galardões provam a qualidade destas zonas balneares, para a qual tem contribuído uma eficaz gestão de saneamento.

Praia dos Beijinhos, Pedras da Agudela e Boa Nova são as três praias que se juntam às 13 que, no ano passado, já tinham hasteado Bandeira Azul: Agudela, Angeiras Norte, Angeiras Sul, Aterro, Cabo do Mundo, Funtão, Fuzelhas, Leça da Palmeira, Marreco, Memória, Pedras Brancas, Pedras do Corgo e Quebrada.

No caso das Bandeiras “Qualidade de Ouro”, as premiadas pela Quercus foram: Angeiras Norte, Agudela, Cabo do Mundo, Funtão, Marreco, Memória, Pedras Brancas, Pedras do Corgo e Quebrada.

A qualidade da água é um dos critérios para a atribuição destas Bandeiras “de Ouro”, sendo que tem de ser considerada “excelente” entre as épocas balneares de 2017 e 2021. Para além disso, as praias galardoadas têm de ter as análises à água de 2022 em conformidade com os parâmetros definidos e não podem ter tido, nessa época balnear, qualquer situação de desaconselhamento, proibição da prática balnear ou interdição temporária.

A qualidade da água, um dos critérios mais facilmente percecionados pelos banhistas e para o qual contribui a gestão eficaz de saneamento, garantida pela INDAQUA Matosinhos, é também um dos critérios fundamentais para a atribuição das Bandeiras Azuis.

Informação e realização de ações de educação ambiental, gestão ambiental adequada e equipamentos como instalações sanitárias “com destino final adequado para as suas águas residuais” são outros dos critérios elencados pelo Programa Bandeira Azul. Promovido pela Associação Bandeira Azul da Europa, este Programa define ainda como parâmetros essenciais a segurança e os serviços (nadadores-salvadores, primeiros socorros, plano de emergência e fonte de água potável).

“A forma como os efluentes domésticos e industriais são recolhidos, transportados, tratados e devolvidos ao ambiente é crucial para a qualidade das zonas balneares deste concelho, pois deve ser feita sem prejudicar a qualidade da água e os ecossistemas que dela dependem. Temos conseguido que a gestão de saneamento seja cada vez mais eficiente e também abrangente, no território matosinhense, e os resultados positivos ficam comprovados com galardões como as Bandeiras Azuis”, refere Tiago Fragata, Diretor Geral da INDAQUA Matosinhos.

“A correta manutenção das condutas e equipamentos, o alargamento de redes e a sensibilização da população para a importância da ligação das suas habitações à rede pública de saneamento têm contribuído para a desativação de milhares de fossas sépticas que põem em risco a qualidade ambiental que alcançámos, mas também a saúde pública, devido ao risco de contaminação das águas subterrâneas”, acrescenta o Diretor Geral da INDAQUA Matosinhos.

Este ano, são 391 as praias fluviais e costeiras galardoadas, em Portugal, com Bandeira Azul e 393 com Qualidade de Ouro. Nos territórios em que a gestão de saneamento é garantida pela INDAQUA, foram atribuídas 23 Bandeiras Azuis (16 em Matosinhos, seis em Vila do Conde e uma em Santa Maria da Feira) e 13 Bandeiras de Ouro (9 em Matosinhos e quatro em Vila do Conde).

Comments


bottom of page