Matosinhos atinge mínimo histórico de desperdícios de água na rede

Os resultados de agosto mostram Matosinhos como um dos concelhos com menores perdas de água na rede de abastecimento pública em Portugal entrando no grupo muito restrito de concelhos onde a água não faturada não supera os 10%. A eficiência da operação da INDAQUA Matosinhos garantiu perdas, nos últimos 12 meses, de apenas 10,8%, menos 2,4 pontos percentuais do que no ano anterior



No último ano com dados divulgados pelo regulador do setor da água (2020), o volume anual de perdas nas redes de abastecimento de Matosinhos era de 12,1% - o sétimo mais baixo do país e o quarto melhor da Área Metropolitana do Porto. Desde então, o valor que era já de referência melhorou progressivamente, permitindo que fosse alcançado, em agosto de 2022, um mínimo de perdas de 10,8%.

O valor alcançado em agosto em Matosinhos, quando comparado com os últimos dados disponíveis do regulador, coloca o concelho no sexto melhor resultado a nível nacional.

O volume de perdas deste concelho está atualmente a grande distância dos 37% registados em 2008, ano de início de atividade da INDAQUA Matosinhos. A diferença entre esse valor (37%) e aquele que agora se regista (10,8%) é equivalente a uma poupança de água suficiente para abastecer este concelho ao longo de 6 meses.

“O controlo destas perdas é feito em tempo real, com ajustes constantes que nos permitem melhorar consecutivamente a eficiência das operações”, explica Tiago Fragata, Diretor Geral da INDAQUA Matosinhos. “Não podemos somente pedir aos consumidores que reduzam os consumos para fazermos face ao contexto de seca. É fundamental todas as entidades gestoras de abastecimento assumam também a sua responsabilidade na proteção deste bem essencial, controlando o desperdício que acontece nas redes dos seus territórios”, defende.

“O trabalho realizado em Matosinhos com o foco na minimização das perdas de água na rede é um trabalho contínuo, iniciado há vários anos, e que coloca Matosinhos no ranking dos concelhos com melhores indicadores neste parâmetro. A escassez de água em Portugal, fruto das condições climatéricas adversas que se têm verificado, colocou o país em alerta e esta temática é cada vez mais relevante na vida das populações. A eficiência da nossa rede e os valores muito baixos de perdas de água deixam-nos muito orgulhosos pelo trabalho competente que tem vindo a ser realizado, mas acima de tudo deixam-nos com o sentimento de que estamos a cumprir a nossa obrigação com a comunidade e com o país”, afirma Luísa Salgueiro, Presidente da Câmara Municipal de Matosinhos.

Em Portugal, a percentagem média de perdas situava-se, em 2020, nos 28,7%, o equivalente a mais de 236 milhões de metros cúbicos de água por ano. Contrariando a tendência, as concessões municipais operadas pela INDAQUA nesse ano (Fafe, Matosinhos, Oliveira de Azeméis, Santa Maria da Feira, Santo Tirso, Trofa, Vila do Conde) registaram uma média de apenas 13,9%.