top of page

MatosinhosHabit define medidas estratégicas para atingir a neutralidade carbónica em 2030

Empresa municipal aposta em materiais de construção recicláveis e sistemas de eficiência energética para diminuir as emissões de carbono do edificado municipal. O Conjunto Habitacional da Guarda será intervencionado com uma abordagem mais sustentável em março próximo


A sessão de reflexão estratégica “Matosinhos Neutralidade Carbónica 2030” participada pela empresa municipal resultou num plano de ação com medidas e soluções para se reduzir em 85% as emissões de carbono e se limitar a subida média de temperatura em 1,5oC no concelho. O grande objetivo é atingir a neutralidade carbónica em 2030, antecipando a descarbonização prevista para o ano de 2050.

Esta sessão de trabalho juntou a presidente da Câmara Municipal, Luísa Salgueiro, a vereadora do Ambiente e da Transição Energética e Presidente do Conselho de Administração da MatosinhosHabit, Manuela Álvares, a administradora da MatosinhosHabit, Helena Vaz, o diretor executivo da Agência de Energia do Porto, Rui Pimenta e representantes das uniões das freguesias, que analisaram quatro áreas de atuação para a conclusão do plano estratégico “Matosinhos Neutralidade Carbónica 2030”:

1. Energia

2. Mobilidade sustentável

3. Ação do município e envolvimento das partes interessadas

4. Financiamento

Foram também definidas várias iniciativas para dinamizar e motivar a participação da comunidade no processo de descarbonização do concelho.

AÇÕES DA MATOSINHOSHABIT NO ÂMBITO DA DESCARBONIZAÇÃO

A intervenção no edificado municipal gerido pela MatosinhosHabit conta com várias práticas sustentáveis e de poupança energética, como a utilização de materiais de construção recicláveis, resistentes e eficientes, que contribuem, direta ou indiretamente, para a redução das emissões de carbono.

Um exemplo prático é a reabilitação do Conjunto Habitacional da Guarda FFH (Fundo de Fomento Habitacional), em Perafita. Trata-se de um projeto de beneficiação energética de 12 habitações, incorporando materiais mais eficientes e recorrendo a sistemas de poupança de energia e de eficiência térmica como, por exemplo, o sistema térmico de isolamento exterior (ETICS) e o sistema de águas quentes solares (AQS).

A 2ª fase desta obra arranca em março de 2023 e ficará concluída no primeiro trimestre de 2024, prevendo um investimento total de 1.175.312,93 €.

Comments


bottom of page