top of page

Municípios unem-se no debate da resposta à habitação e à coesão territorial

Porto, Vila Nova de Gaia, Matosinhos e Maia unem-se para uma resposta aos desafios da habitação e uma maior coesão territorial. Os temas estarão no centro do debate da 11.ª Semana da Reabilitação Urbana, que acontece de 6 a 8 de novembro.


Desta vez a deslocar-se até às Caves Ferreira, no concelho gaiense, a Semana da Reabilitação Urbana do Porto vai abrir espaço à discussão da acessibilidade à habitação, do SIMPLEX do licenciamento urbanístico e do impacto do pacote de medidas "Mais Habitação".

A sessão de abertura – que acontece sob o tema "A habitação como fator de coesão do território. Que respostas?" – conta com a participação do presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, e da ministra da Habitação, Marina Gonçalves.

Como é habitual, o evento traz um ciclo de conferências, workshops técnicos e seminários jurídicos. Serão mais de uma dezena de debates, envolvendo mais de 100 oradores, entre eles o vereador do Urbanismo e Espaço Público e da Habitação, e o vereador das Finanças, Atividades Económicas e Fiscalização e da Economia, Emprego e Empreendedorismo.

Enquanto Pedro Baganha estará presente na mesa redonda que vai debater o "SIMPLEX no licenciamento e digitalização. Um novo paradigma?", Ricardo Valente junta-se à discussão sobre "Alojamento local: o impacto na dinâmica de reabilitação urbana" e irá, ainda, apresentar a iniciativa Greater Porto durante a sessão sobre "Capital, Empresas e Talento – Oportunidades para o mercado imobiliário".

Além dos municípios do Porto, Vila Nova de Gaia, Maia e Matosinhos, a Semana da Reabilitação Urbana conta com o apoio das principais associações do setor da construção e do imobiliário e das ordens profissionais. É de participação gratuita (sujeita a registo) e aberta a profissionais do setor, mas também à Academia e a quem aqui vive ou trabalha na região.

Criada em 2013, afirma-se como o mais importante evento nacional de ativação do movimento de regeneração e renovação urbana e urbanística em Portugal.

Comments


bottom of page