Porto Leixões pioneiro em tecnologia ECOncrete

Unidades de Tretápodes do quebra mar suportam biodiversidade marinha



A APDL vai implementar, pela primeira vez em Portugal, a tecnologia ECOncrete nas unidades de tetrápodes que vão ser colocadas no Porto de Leixões, mais concretamente no quebra mar.

Produzidos pela Etermar – Engenharia e Construção, S.A., os Tetrápodes são estruturas de betão modelares, compostas por quatro extensões proeminentes, ou seja, quatro pés. Este formato é concebido para dissipar a energia incidente das ondas e evitar a sua movimentação, pois ficam encaixados evitando o deslizamento para a água.

A novidade na produção destes ECO-tetrápodes de 40t, é que foram concebidos utilizando a tecnologia da ECOncrete, um fornecedor de tecnologia de bio-fortalecimento para betão, que integrou com sucesso, aditivos, agentes de textura e revestimentos no processo de produção do betão, que vão favorecer a fixação e desenvolvimento de espécies na superfície do betão dos tetrápodes, contribuindo para incrementar a biodiversidade marinha, mantendo a integridade e resistência destes elementos maciços que revestem o quebra-mar do porto de Leixões.

Para a Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo esta medida está alinhada com a estratégia de Sustentabilidade que a APDL está a promover.

Para Nuno Araújo, “esta é mais uma medida importante que corrobora a aposta

da APDL na sustentabilidade ambiental, porque estas estruturas, criadas com

esta tecnologia, vão fortalecer a frente costeira mas também a biodiversidade

marinha, ou seja vão contribuir para a melhoria dos ecossistemas aquáticos e a

sua resiliência face às alterações climáticas”.

A APDL torna-se pioneira na utilização desta tecnologia nos ECO-tetrápodes que vão ser colocados no quebra mar do Porto de Leixões, que recorde-se está a sofrer uma obra de prolongamento, uma empreitada de grande importância para o aumento de competitividade do Porto.