top of page

Revisão do PDM de Matosinhos para centro tecnológico em consulta a partir de quinta

A revisão do Plano Diretor Municipal (PDM) de Matosinhos que permitirá a construção do centro de inovação tecnológica "Fuse Valley", em Leça do Balio, entra em consulta pública nesta quinta-feira, segundo publicação hoje em Diário da República. O prazo para remeter sugestões e pedidos de esclarecimento é de 15 dias úteis


Foto: Artur Machado/Global Imagens

A Câmara Municipal de Matosinhos explica, conforme se lê no aviso em Diário da República, que este procedimento dá início à segunda alteração da primeira revisão do PDM, estando em causa uma área onde será construído o centro de inovação tecnológica "Fuse Valley".

Este empreendimento vai nascer em Leça do Balio, Matosinhos, com 140 mil metros quadrados, dos quais 60 mil serão ocupados pela Farfetch (plataforma de moda de luxo), segundo informação do Município. A 16 de março, em Cannes, França, o diretor executivo do Castro Group, empresa responsável pela criação do "Fuse Valley", adiantou que a obra deverá arrancar "ainda este ano", prevendo que todas as valências fiquem concluídas em 2030.

No aviso, a Autarquia diz que esta alteração resulta da "modificação significativa das perspetivas de desenvolvimento económico e social que fundamentam as opções definidas no plano para a área de intervenção em causa e tem por objetivo atualizar as opções do PDM na área que foi objeto de suspensão parcial".

É ainda referido que a Câmara "determinou desnecessidade de elaboração da Avaliação Ambiental Estratégica (...) porque o empreendimento em apreço obteve já uma declaração de impacte ambiental favorável" e por "se estar perante uma pequena área do território municipal".

Os interessados em fazer sugestões e pedidos de esclarecimento devem dirigir-se, por requerimento, à presidente da Câmara de Matosinhos, Luísa Salgueiro.

As comunicações devem ser apresentadas nos serviços da Autarquia, enviadas por correio registado para a morada da Câmara ou correio eletrónico para o endereço mail@cm-matosinhos.pt.

Em 11 de novembro, também de acordo com publicação em Diário da República, foi tornado público que a Câmara Municipal de Matosinhos suspendeu parcialmente, por dois anos, o PDM. "A proposta de suspensão do plano revela-se, assim, imprescindível, caso contrário inviabilizar-se-á a realização de um empreendimento de relevante importância para o concelho", referia a Autarquia.

A Câmara estima que este empreendimento dê origem a 12000 postos de trabalho qualificado no setor terciário e das tecnologias de informação e que a "significativa" criação de emprego contribua para a eventual fixação de novos residentes.

Além disso, e ainda de acordo com informação camarária, o projeto concretiza, através de investimento privado, a requalificação do nó do Chantre - entrada no concelho de Matosinhos a partir do centro da Maia - e promove novos acessos da EN13 à malha urbana municipal.

A isto acresce que, através das cedências previstas no projeto para áreas destinadas a espaços verdes de utilização coletiva (cerca de 4,5 hectares nas margens do rio Leça), faz-se o enquadramento e conexão do Parque da Paz e do Corredor Verde do Leça (ciclovia) com o território envolvente.

Em Cannes, à margem do evento imobiliário internacional MIPIM, o diretor executivo do Castro Group, Paulo Castro, disse estimar que entre o segundo semestre de 2026 e janeiro de 2027 a primeira fase do projeto, orçada em cerca de 200 milhões de euros (investimento partilhado com a Farfetch), esteja concluída.

Já as duas fases restantes do projeto deverão estar concluídas entre 2027 e 2030.

O centro de inovação tecnológica "Fuse Valley" será composto por 24 edifícios que vão albergar escritórios, habitações, um hotel e vários serviços.

Parte "substancial" dos escritórios será ocupada pela Farfetch, enquanto o hotel vai ter 70 quartos e ocupar uma área de 12 mil metros quadrados, para onde estão previstos vários espaços comuns, como salas para eventos, congressos, espaços de 'coworking' e spa.

Comments


bottom of page