top of page

Segunda Sessão Salvé a Língua de Camões

Leitura encenada “Tebas de mil portas”, de Jorge Palinhos

Foto: Francisco Magalhães

A segunda sessão da 19ª edição do Salvé a Língua de Camões foi apresentada no MuMMa - Museu da Memória de Matosinhos, na passada sexta-feira, dia 24 de fevereiro. “Tebas de mil portas” foi a leitura encenada, uma peça do dramaturgo português Jorge Palinhos. William Gavião deu voz e corpo a um exercício dramático numa sessão especial que contou com a participação online do dramaturgo, dando a conhecer, numa breve conversa com o público, o contexto da criação deste texto. “Tebas de mil portas”, numa homenagem ao célebre poema de Brecht, Perguntas de um operário letrado, é um monólogo polifónico de um homem, em que a personagem se confronta com a própria vida, que se vai tornando cada vez mais distante e rarefeita, como a poeira que respirara ao longo da sua vida e que em breve o engolirá. A difusão de dramaturgias em língua portuguesa pela leitura encenada de textos de autores consagrados ou emergentes provenientes de Brasil, Portugal, Angola, Guiné e Moçambique, é o objetivo do "Salvé a Língua de Camões" ciclo de dramaturgias que visa repensar os espaços de democratização do teatro. Diferente de um espetáculo, a leitura encenada trabalha a vertente e enraizamento de cariz popular do teatro, assim como a renovação cénica depurada, onde não se distingue o espaço de plateia/espaço de representação. A próxima sessão do Salvé a Língua de Camões decorrerá no dia 31 de março, no Museu da Quinta de Santiago, pelas 21h30, e terá como tema "O Cheiro dos Velhos”, de Caplan Neves (Cabo Verde).

Comments


bottom of page