Seis dicas para recuperar dinheiro gasto nas férias

A época de férias é usualmente mais propicia a gastos, seja no aluguer de habitações, marcações em hotéis, jantares fora, ou entradas em parques aquáticos. Embora, por vezes, seja difícil aceitar o regresso à rotina, esta obriga a contenção de custos e a fazer escolhas mais conscientes.

Neste sentido, o NM juntou seis dicas úteis para que seja mais fácil poupar e voltar a reorganizar as finanças, recuperando, nos próximos meses, algum do dinheiro gasto nas férias.



1.Apontar as despesas e colocar de parte algum dinheiro Esta é uma das dicas mais importantes que poderíamos dar: estar consciente do que se gasta. É fundamental anotar todas as despesas para se perceber onde e em quê que se tem gasto mais dinheiro. Isso pode ser feito nas notas no telemóvel, excel, bloco de notas ou aplicações, sendo que desta forma será possível ter uma melhor perceção da diferença entre o que se ganha e gasta.

Outra dica é ter noção de que todos os meses se deve poupar algum dinheiro. Desta forma, quando se recebe o salário deve ser colocado algum valor diretamente para poupança, mesmo que na altura possa parecer pouco significativo.


2.Deixar o carro e circular de transportes públicos Ainda que por vezes seja mais cómodo viajar de carro a verdade é que ao se optar por transportes públicos está-se a poupar muito dinheiro no final do mês. Um carro acarreta várias despesas, sejam elas relacionadas com o seguro, gasolina ou gasóleo. Com um passe para transportes públicos pode poupar muito, uma vez que todos os gastos associados ao carro refletem-se em milhares de euros no final do ano.


3.Estabelecer prioridades Definir um objetivo mensal é, sem dúvida, um bom começo para tentar economizar ao máximo. Assim, decidir quanto dinheiro se quer poupar por mês e verificar quanto se é obrigado a gastar, facilita o processo. Algumas das despesas são inevitáveis, mas outras não, por esse motivo, é necessário estabelecer prioridades e perceber se, naquele mês, é ou não possível ir jantar fora, ao cinema, ou ver um jogo de futebol.


4.DIY: Do it yourself Provavelmente, esta sigla já apareceu em algumas pesquisas dos nossos leitores, seja no Facebook, fóruns de discussão ou Youtube. Este movimento, que traduzido significa «faça você mesmo», tem ganho cada vez mais força e pode ser aplicado em áreas tão distintas como a da estética, culinária ou carpintaria.

Embora seja mais confortável ter outras pessoas a fazer algumas tarefas ou serviços, se se optar por fazer as coisas vai conseguir-se poupar muito.


5.Comparar preços Outro truque importante para conseguir poupar é comparar preços. Talvez seja útil rever todos os serviços contratados, como gás, eletricidade, serviços de Internet e tarifário de telemóvel e comparar estes preços com os que estão disponíveis no mercado.

Também não se deve optar por fazer compras num supermercado mais caro, só pelo facto de este estar mais perto de casa.


6.Planear com antecedência Em qualquer plano de poupança o planeamento e a organização são essenciais, visto que será muito mais fácil poupar se se tiver consciência do que se terá de gastar nos próximos tempos. Por exemplo, no caso de os nossos leitores terem um casamento ou tiverem de trocar de carro, é fundamental poupar durante os meses anteriores, para quando chegar a altura ser mais fácil de gerir os gastos.