top of page

Verão Seguro e resultados

Forças policiais apresentaram ontem, dia 2 de outubro, resultados. Matosinhos com menos 28,5% de criminalidade face a 2019


Polícia de Segurança Pública, Guarda Nacional Republicana, Polícia Marítima e Polícia Municipal trabalharam em conjunto durante o verão na proteção dos veraneantes na praia de Matosinhos, de acordo com um plano de atuação apresentado no início de julho deste ano, e que estabeleceu o reforço de cooperação entre as várias autoridades ao nível da prevenção, monitorização e capacidade de intervenção, dando melhores condições de segurança real e percecionada àqueles que usaram as praias. Ontem, na Loja Interativa de Turismo de Matosinhos, localizada junto à praia de Matosinhos, as várias autoridades fizeram um balanço do plano de segurança balnear implementado. Em 2023, esta operação que teve como objetivos a segurança e proteção dos cidadãos, natureza e ambiente e ao abrigo do qual foi assinado um protocolo de cooperação entre várias autoridades policiais resultou em 149 ações a nível nacional, sendo 63 delas em Lisboa, 70 no Porto, 29 das quais em Matosinhos e 16 em Faro. No que respeita a Matosinhos, a Polícia de Segurança Pública apresentou também uma análise da criminalidade no concelho entre 2019 e 2022. Os números indicam uma diminuição da criminalidade de 28,5%, com o registo de 4204 crimes em 2022, face aos 5881 crimes em 2019. Tendo em conta os números apresentados, o ministro da Administração Interna aproveitou o momento para anunciar que o projeto de cooperação “Verão Seguro” é para “continuar nos anos que se seguem”, considerando “muito positivos” os resultados alcançados. José Luis Carneiro apontou ainda dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) que referem que entre janeiro e finais de agosto de 2023, Portugal registou mais de 20 milhões de hóspedes entre turistas e estudantes estrangeiros, o que significa ter, além da população portuguesa, o equivalente a duas vezes da população portuguesa a viver, a fazer férias”, disse. José Luis Carneiro referiu-se ainda aos indicadores de criminalidade dos últimos 10 anos, que permitem concluir que, face a 2013, este ano houve “menos 11% de criminalidade geral e menos 24% da criminalidade grave e violenta”. “Tendo tido mais do dobro dos hóspedes em Portugal do que em 2013, dados do INE, estes números são números positivos”, salientou. Por fim, o ministro realçou ainda a necessidade do plano de se segurança balnear para 2024 ser planeado com flexibilidade e com capacidade de ajustamento às necessidades de cada momento. Nestes tempos em que o verão se prolonga pelo outono, e com o tempo quente a pedir praia, o ministro da Administração Interna admitiu que é necessário ajustar o calendário da época balnear já no próximo ano.

Comments


bottom of page