top of page

Corredor Verde do Leça

Sabia que o Corredor Verde do Leça, é um projeto ambiental e de mobilidade, que inclui “a valorização paisagística e ambiental do rio Leça e das suas margens”, transformando-as numa área de lazer com o objetivo de devolver-as à fruição da população, e “contribuir para a coesão territorial, unindo o litoral ao interior, através de um canal próprio destinado à utilização dos modos suaves de transporte”



Além da requalificação e da revitalização das margens do Rio o projeto prevê a “construção de um percurso pedestre e ciclável ao longo das suas margens, criando uma alternativa de mobilidade para as deslocações quotidianas, a pé e de bicicleta, entre as zonas residenciais e as zonas empresariais localizadas na sua envolvente”.

O projeto está a ser executado em três fases, num total de 18 km. A primeira fase já concluída, engloba as pontes de Moreira e da Pedra (incluindo a ligação a Picoutos), numa extensão de 6,9 km, que abrangeu a construção de uma ciclovia e de percursos pedonais, entre outras melhorias, “promovendo assim um maior contacto com a natureza e novas oportunidades de mobilidade”.

A segunda fase compreende as pontes de Moreira e do Carro, numa extensão de 6,1 km, obras que estão neste momento em curso e a terceira entre a Ponte do Carro e o Porto de Leixões/ Foz do Rio Leça, com ligações ao centro de Matosinhos e de Leça da Palmeira, com uma extensão de 4,7 km.

O projeto do Corredor Verde do Leça engloba a cooperação dos municípios por onde passa (Matosinhos, Santo Tirso, Maia e Valongo) que integram a Associação de Municípios do Corredor Verde do Leça que foi constituída a 31 de maio de 2021.

Com sede no Lionesa Business Hub, em Leça do Balio, a associação intermunicipal do país tem como objetivo a recuperação de um rio, devolver este rio aos habitantes, entre outros objetivos.

O projeto do Corredor Verde já recebeu o prémio International Land Award - nature and artífice da Achiforum e Arketipos, em Itália, que segundo a organização LAND AWARD tem por objetivo “premiar os projetos que têm gerado uma contribuição positiva na qualidade de vida das pessoas e na integração entre a arte, a arquitetura e a paisagem”.

O Rio Leça, com uma extensão de 47 quilómetros, que desagua em Matosinhos e que no passado mais recente foi considerado um dos rios mais poluídos da Europa, tem tido nos últimos anos um novo renascer.

Comentarios


bottom of page