ESTATUTO EDITORIAL

1. O Notícias Matosinhos defende a liberdade de expressão e a liberdade de informar, bem como repudia qualquer forma de censura ou pressão. O Notícias Matosinhos é um jornal independente de todos os poderes, manifestando esse espírito de independência também em relação aos seus próprios anunciantes.


2. O Notícias Matosinhos entende dever ser um instrumento através do qual os cidadãos do concelho de Matosinhos podem, em liberdade e no pluralismo, procurar o esclarecimento de que necessitam para o exercício das suas opções.

3. Sem prejuízo do pluralismo de opinião e de conceder voz a todas as correntes, o Notícias Matosinhos não renuncia à capacidade de crítica e defenderá a Democracia e as liberdades fundamentais dos cidadãos, fomentando a sua participação na resolução dos problemas da comunidade.

4. O Notícias Matosinhos promoverá a Língua portuguesa e o património histórico do Concelho.

5. O Notícias Matosinhos tem e terá presente os limites impostos pela deontologia dos jornalistas, pela ética profissional e pela Lei de Imprensa.

6. O Notícias Matosinhos sabe que é indispensável distinguir entre as notícias - que deverão ser, tanto quanto possível, objectivas, circunscrevendo-se à narração, à relacionação e à análise dos factos para cujo apuramento devem ser ouvidas as diversas partes - e as opiniões que deverão ser assinadas por quem as defende, claramente identificáveis e publicadas em termos de pluralismo. O Notícias Matosinhos pode tomar posição através de editoriais, assinados ou não, que vinculam a posição do jornal.

7. O Notícias Matosinhos sabe, ainda, que a selecção do material a publicar, a sua paginação, titulação ou ilustração, deve obedecer a critérios baseados na importância efectiva de cada texto e não nas convicções ideológicas ou interesses particulares de quem as escreve, escolhe ou pagina.

8. O Notícias Matosinhos reconhece que, em casos excepcionais, há notícias que mereciam ser publicadas porque a sua divulgação seria eventualmente nociva ao interesse do Concelho ou do País. O jornal reserva-se o direito de definir, caso a caso, a aplicação deste critério.

9. O Notícias Matosinhos sabe que a publicação insistente de determinados assuntos - do crime e do sexo às baixezas da vida política e económica - poderia aumentar a venda de exemplares, mas recusa-se a alimentar qualquer tipo de sensacionalismo que ponha em perigo o jornalismo de qualidade que pretende fazer.


10. O Notícias Matosinhos atribui prioridade absoluta à coerência de forma a tornar-se uma referência, independentemente de quem sobe e de quem desce do poder.