Caminho de Santiago pela costa cada vez mais procurado

Mais de 10 mil peregrinos em 6 meses



De ano para ano, não para de crescer o número de peregrinos que escolhem rumar a Santiago de Compostela pelo litoral português, percorrendo a orla costeira de Matosinhos.

Só nos primeiros seis meses deste ano, foram já 10.144 os peregrinos que passaram pelos postos de turismo de Matosinhos e de Leça da Palmeira, representando 75% do total de atendimentos.

Em relação a 2021, que foi um ano ainda fortemente afetado pelo impacto da pandemia por COVID-19, representa um crescimento de cerca de 360% (foram 1.942 peregrinos no ano passado).

A Câmara Municipal de Matosinhos, recorde-se, está a preparar a instalação de um Posto de Atendimento ao Peregrino na Praia do Marreco.

O novo espaço faz parte da estratégia turística da autarquia e terá a função de acolhimento, apoio e informação complementar aos Postos de Turismo de Matosinhos e Leça da Palmeira, com especial foco no produto dos Caminhos de Santiago.

Matosinhos é um ponto de passagem quase obrigatória, sobretudo pela sua ligação a um dos mais importantes ícones dos Caminhos de Santiago de Compostela – a vieira.

Corria o ano de 44 d.C., um vasto areal no lugar de Bouças (designação, até ao início do século XX, do atual concelho de Matosinhos), conhecido como a Praia do Espinheiro, é o local escolhido pelo grande senhor romano e pagão da região, Cayo Carpo, para realizar as festas do seu casamento com a jovem Claudia Loba.

Durante as festividades, o noivo desafia os restantes cavaleiros para uma corrida invulgar de cavalos: venceria quem conseguisse entrar mais longe mar adentro. Para surpresa de todos, o cavalo de Cayo Carpo avança, desenfreado, sobre as águas sem se afundar. Dirige-se para um barco, em pedra, que passa ao largo transportando o corpo de Santiago da Palestina até à Galiza. Perante o milagre que presenciou, Cayo Carpo converte-se ao cristianismo. Engolidos pelas águas do mar, cavaleiro e cavalo reaparecem no areal completamente cobertos de vieiras, convertidas, a partir daí, num dos símbolos de Santiago. Também se diz que Cayo Carpo surgiu completamente “matizadinho” de vieiras e, por esse motivo, passou a ser conhecido como o “Matizadinho” na praia do “Matizadinho”- topónimo que evolui, nos séculos seguintes, para Matosinhos.