top of page

Casa Galante e Quinta do Dourado classificadas como monumentos de interesse municipal

A Casa Galante, em Perafita, foi classificada como monumento de interesse municipal, tendo sido aberto o procedimento para classificar igualmente a Quinta do Dourado, em S. Mamede de Infesta, ambas em Matosinhos, segundo publicado ontem, dia 10 de abril, em Diário da República



A Câmara Municipal de Matosinhos, aprovou em reunião extraordinária de 8 de fevereiro a decisão final do procedimento de classificação da Casa Galante cuja “principal característica” é “o seu caráter híbrido, resultante da reconstrução sofrida no final do século XIX por intervenção de emigrante brasileiro”.

Segundo informação disponibilizada na página de internet daquela autarquia, o “aspeto que mais marca a génese desta Casa do Galante, em Perafita”, é o regresso dos emigrantes portugueses do Brasil e as obras por eles executadas em casas de lavoura na zona de Matosinhos.

O agora monumento de interesse municipal é uma casa com características do século XIX, que terá sido erguida sobre outra edificação mais antiga aí existente.

“A Casa do Galante é um exemplar híbrido de estrutura residencial e agrícola. Uma casa que ostenta elementos que pretendem evidenciar nobreza e prosperidade, mas ao mesmo tempo celebra o gosto pelo mundo rural e pela atividade agrícola”, lê-se.

O imóvel agora classificado ficou abrangido pela lei que estabelece o regime geral de proteção e valorização do património cultural

A edição de hoje do Diário da República (DR) estabelece ainda a abertura do procedimento de classificação da Quinta do Dourado – Quinta de Santo António, em S. Mamede de Infesta como Monumento de Interesse Municipal.

O executivo camarário de Matosinhos deliberou a abertura daquele procedimento localizado na rua da Igreja Velha, em São Mamede de Infesta, na união das freguesias de São Mamede de Infesta e Senhora da Hora a 25 de janeiro.

Segundo a página de internet daquela união de freguesias, a Quinta do Dourado é composta de casa nobre e de caseiros, jardim, capela, eira de pedra e uma cortinha de lavradio, um monumental portão com nicho vazado no tímpano a recolher orago protetor.

O complexo tem também uma capelinha barroca, ereta sob a proteção de S. Cristovão, referenciada desde 1741, e ainda um pavilhão, ladeado por duas pedras de arma de bom lavor, e, defronte dele, um amplo lago enquadrado por esculturas barrocas em granito.

O processo administrativo original está disponível para consulta no edifício dos Serviços Técnicos, na Comissão do Património Arquitetónico e Histórico da Câmara Municipal de Matosinhos e poderá ser consultada cópia do processo na Junta da União das Freguesias de São Mamede de Infesta e Senhora da Hora.

Os interessados poderão apresentar, sugestões e ou informações, nos termos e condições estabelecidas no Código do Procedimento Administrativo, sobre a decisão de abertura de procedimento administrativo de eventual classificação do bem imóvel.

Commentaires


bottom of page