Deputados ouvem problemas de Matosinhos

Presidente da Câmara reúne com Grupo Parlamentar do Partido Socialista

A Linha de Leixões, o encerramento da refinaria da Petrogal e os problemas de mobilidade da região foram alguns dos assuntos em destaque na reunião de trabalho que a Presidente da Câmara Municipal de Matosinhos realizou ontem, no Edifício dos Paços do Concelho, com membros do Grupo Parlamentar do Partido Socialista.

Luísa Salgueiro esteve reunida com os deputados eleitos pelo círculo do Porto João Pedro Matos Fernandes, Carlos Brás e Miguel Rodrigues.

Foi discutida a Linha de Leixões para o transporte de passageiros, até Ermesinde, com uma ligação ao Aeroporto Francisco Sá Carneiro, situação que está em estudo pelas Infraestruturas de Portugal, e que já motivou o agendamento de reunião com o pasta governamental que tutela o assunto.

No que respeita às infraestruturas de mobilidade da região e de forma a reduzir o fluxo de tráfego atualmente existente em vias como a A28, Circunvalação e Via Norte, lamentou a ausência de intervenções por parte da IP- Infraestruturas de Portugal, nomeadamente uma nova configuração da rotunda da AEP, a definição da utilização do separador central da A28, o alargamento ou reperfilamento da Via Norte ou a requalificação da Circunvalação.

Também os problemas de manutenção da ponte móvel do Porto de Leixões foram abordados, bem como a necessidade de reconversão do mercado de segunda venda da Docapesca.

O futuro dos terrenos da Petrogal e o impacto do encerramento da refinaria estiveram em discussão, nomeadamente a reconversão profissional dos funcionários que perderam o seu emprego, a descontaminação dos solos, o acesso ao Fundo de Transição Justa e a cedência de terreno para a instalação do Centro Tecnológico e Hub do Mar.

A habitação e as respostas sociais foram outros dos temas em análise. A autarca salientou a necessidade de celeridade na tomada de decisões e flexibilidade nos avisos para a construção de habitação por parte do IHRU (Instituto de Habitação e Reabilitação Urbana) e de maior dotação financeira para o Programa de Alargamento de Equipamentos e Respostas Sociais por parte da Segurança Social, alertando para o risco de ausência de execução em componentes essenciais do Plano de Recuperação e Resiliência.