top of page

Destaques do Festival MOODS, de 12 a 14 de maio

O MOODS decorre entre 12 e 14 de maio, vai ocupar o Jardim Basílio Teles, em Matosinhos. Ao longo de três dias, não faltarão espetáculos e atividades para miúdos e graúdos. Sempre sem perder o foco na sustentabilidade.

Animações itinerantes pelo jardim



Animações itinerantes não faltarão pelas ruas do Jardim de Basílio Teles, em Matosinhos, ao longo dos três dias de festival. Uma das animações intitula-se Brigada das Cores e pretende passar uma mensagem de igualdade e inclusão. Somos "todos diferentes, todos iguais" é o mote. Mas haverá mais. A Luzes do Tempo, uma outra animação itinerante, pretende alertar para as alterações climáticas e para a necessidade de mudança de comportamentos. Uma terceira animação, denominada Fita Cola, levará três personagens que "habitam num veículo-caravana" a percorrer o jardins e a fomentar a interação entre todos.


Palco Equilíbrio

Neste palco, miúdos e graúdos poderão assistir a um espetáculo que pretende alertar para as preocupações com o planeta. Um dos objetivos passa por mostrar que "a busca permanente do equilíbrio entre a natureza, o planeta, os seus recursos e a vida humana é o nosso maior desígnio". E, por isso, "o respeito mútuo encontra-se no equilíbrio".


Palco Aprendiz

É um espaço dedicado especialmente aos mais novos, onde poderão ter contacto com instrumentos tradicionais portugueses - como o cavaquinho, o bombo, a gaita de foles ou a flauta - e aprender a construir instrumentos simples com lixo. Haverá, ainda, jogos de tabuleiro.


Palco Habitação

Neste palco, o tema da habitação ganha destaque através de um "espetáculo entre quatro paredes e sobre três rodas". Debruça-se na história de "um artista de circo que perde todo o seu trabalho depois de uma pandemia ter abalado o Mundo". No final do confinamento, o artista "faz-se à estrada com a sua mota de três rodas e procura reencontrar a sua rua, o seu espaço público, o seu lugar de trabalho, onde pode apresentar os seus espetáculos e reencontrar as pessoas". É "uma reflexão sobre o direito à habitação, o nomadismo e a importância de ver o planeta como casa para todos os seus habitantes".


Palco Terra

É um palco dedicado à música, "a forma mais pura e poderosa para falar com o planeta e com as pessoas". O objetivo é "promover uma sociedade pacífica e inclusiva" através de artistas como Leonard Cohen, Bob Dylan, Jobim, Patti Smith e Nina Simone.


Coreto, o "coração do festival"

Será o ponto de encontro, antes do pôr do sol, para o concerto final em cada dia de festival. A 12 de maio, sexta-feira, o coreto será ocupado pelos Retimbrar. No dia seguinte, sábado, miúdos e graúdos poderão assistir aos Kumpania Algazarra. E, no dia 14 de maio, o encerramento do festival estará a cargo dos Be-Dom.

bottom of page