top of page

EHF Euro 2024 Qualifiers: Estrondosa vitória em Matosinhos alimenta sonho do maior palco europeu

Quinas de Ouro conquistam mais dois pontos na Ronda 4 com a preciosa ajuda do público que se deslocou ao Centro de Desportos e Congressos para uma noite de andebol espetáculo.



7 Inicial: Isabel Góis, Carolina Monteiro, Joana Resende, Patrícia Lima, Beatriz Sousa, Neide Duarte e Nádia Rodrigues

Mais de 2.000 pessoas fizeram-se sentir no Centro de Congressos e Desportos de Matosinhos para um dos jogos com maior adesão do público desde que há memória. Portugal vinha motivado para este encontro, após uma vitória na Finlândia, e trazia a lição estudada para enfrentar as nórdicas na quarta ronda da Qualificação para o EHF Euro 2024.

O sonho português mantinha-se intacto à entrada para este encontro, que permitia consolidar a posição das comandadas de José António Silva para a tão almejada qualificação que escapa desde 2008.

Nos minutos que antecederam o encontro foi tempo de homenagear duas internacionais portuguesas – Sandra Santiago e Maria Pereira – que se despediram da Seleção Nacional. Debaixo de uma sentida ovação, acompanhadas por Miguel Laranjeiro, Presidente da Federação de Andebol de Portugal e pelos Vice-Presidentes Juliana Sousa e Augusto Silva.

O encontro começou sem mais demoras – com Matilde Rosa e Carmen Figueiredo a não serem opção para esta tarde – e com Joana Resende a inaugurar o marcador, mas as finlandesas acabaram por responder, no entanto Portugal foi mais assertivo na entrada e chegou, rapidamente, ao 3-1. Apesar das tentativas, Isabel Góis estava inabalável entre os postes, e segurava as Quinas na liderança.

Apesar de alguns minutos sem golos, Beatriz Sousa acabou por desbloquear o ataque e chegou ao 5-2, obrigando Tomas Mecklin a colocar o seu primeiro time-out, na esperança de reverter o rumo do encontro. Quem saiu melhor da paragem técnica foram as Lusas a sair melhor da paragem, com novo golo, desta vez pelas mãos da central Patrícia Lima e manteve a toada.

Pouco depois dos 10 minutos de jogo, a Finlândia mostrou sinais de alguma recuperação, levando novamente o jogo a três golos de diferença (9-6) mas Portugal voltou a sair na frente, apoiado numa defesa coesa e eficaz que ajudou a turma de José António Silva a aproveitar as transições rápidas. As Lusas conseguiram levar a diferença para o dobro, com a chegada à meia dúzia de golos e o apoio do público mantinha-se incessante.

Na entrada para os últimos 10 minutos da primeira parte, abriu a cortina para Isabel Góis, que fez as delícias dos adeptos que, esta noite, se deslocaram ao Centro de Desportos e Congressos de Matosinhos e as Quinas mantiveram o ritmo até ao final, recolhendo aos balneários com a diferença na dezena de golos.

Intervalo: 21-11

A entrada para a segunda metade deu-se com um golo para cada lado, e seguiram-se alguns minutos sem mexer as redes até que as nórdicas acabaram por baixar a diferença para nove golos. Mas Mariana Lopes, acompanhada por Patrícia Rodrigues, levou o encontro, novamente, a dois dígitos de diferença (11), à passagem dos 40 minutos.

Seguiu-se uma troca na baliza portuguesa com a entrada da Jéssica Ferreira, que entrou com chama de vitória e ajudou Portugal a chegar aos 15 golos de diferença (31-16) sem grande oposição.

Na reta final do encontro, as Lusas mantiveram o ímpeto e, paulatinamente, aumentaram a diferença, com uma melhoria no ataque relativamente ao embate de quinta-feira passada frente ao mesmo adversário. Portugal somou assim uma importante vitória para as suas aspirações e terminou o encontro perante uma ovação dos adeptos.

Relativamente às contas, os dois melhores terceiros de todos os grupos passam à fase seguinte mas, devido ao resultado desta noite dos Países Baixos com a Chéquia, as Lusas podem sonhar com um segundo lugar, apenas terão que reverter cinco golos de desvantagem no encontro com as checas.

Resultado Final: 38-22MVP: Isabel Góis – 9 defesas (43% de eficácia)Top Scorer: Patrícia Rodrigues – 8 golos (100% de eficácia)

José António Silva, Selecionador Nacional, mostrou-se muito feliz pelo desfecho deste encontro e deixou sublinhado a luta pelo segundo lugar do Grupo 3: “Nós assumimos desde início que eram dois jogos que tínhamos que ganhar e que eramos favoritos desde o início e, portanto, fizemos questão de o afirmar desde muito cedo, foi um jogo desequilibrado mas há muito mérito das nossas jogadoras. Habitualmente quando se ganha por muito tem-se tendência a desvalorizar um pouco mas acho que este resultado se deve fundamentalmente a termos jogado muito bem hoje. Esta equipa é muito comprometida, muito séria nas tarefas, portanto quando não faz melhor é porque é completamente impossível, foi um jogo fantástico da parte delas. Estamos na luta pelo apuramento, se conseguirmos chegar ao segundo lugar que eu creio que é o lugar que temos ao nosso alcance, tentaremos, se for o terceiro que seja mas vamos lutar pelo segundo. Acredito que os nossos adversários são favoritos mas nós temos os nossos argumentos e vamos colocá-los em campo.”

Fonte : Federação de Andebol de Portugal

Comments


bottom of page