Mercado de Matosinhos

A imagem do Mercado de Matosinhos dificilmente se poderá dissociar do centro tradicional da cidade e do concelho de Matosinhos, sendo desde sempre um ponto de referência incontornável, não só para a população residente bem como para o visitante ocasional entre os quais se encontram em particular os turistas. O Mercado de Matosinhos continua, em larga medida, a constituir um núcleo sólido de relacionamento social da população residente no concelho, através da valorização da variedade dos produtos e a qualidade associada, (sobretudo nos produtos hortícolas e no peixe), e a relação de confiança e proximidade estabelecida entre o cliente e o vendedor bem como a satisfatória relação qualidade/preço, em contraste com impessoalidade do atendimento e relacionamento nas grandes superfícies. Particularmente o Mercado de Matosinhos, devido à sua localização, terá que ser perspetivado enquanto espaço âncora para a revitalização urbanística e comercial do centro histórico da cidade de Matosinhos.

Continua-se, assim, a defender a estratégia de potenciar o aumento da sua competitividade e o aumento da sua cota na comercialização de produtos frescos locais e de qualidade, através da diversidade comercial, com a dinamização dos produtos do mar e de horticultura locais, o desenvolvimento do setor primário do concelho, a criação duma imagem de qualidade e de modernidade, realçando as suas potencialidades, atuando sobre os seus constrangimentos:

 
  • regulamentar a organização, ocupação, funcionamento e exploração dos mercados municipais;

  • promover diversificação das atividades

  • desenvolver a uniformização dos procedimentos adequados aos regulamentos municipais;

  • promover a qualidade dos produtos locais e colaborar na promoção de produtos de qualidade doutros concelhos e regiões;

  • promover anualmente um evento como “a semana dos mercados”;

  • criar mecanismos de divulgação dos espaços, actividades e produtos;

  • regulamentar a venda ambulante;

  • articular com outras estruturas do poder local e central no acompanhamento e controlo do seu funcionamento;

  • desenvolver ações de formação junto da população e seus agentes;

  • desenvolver ações de formação profissional para os profissionais e agentes envolvidos no processo;

  • criar um sistema informatizado