Monumentos de interesse municipal

Classificadas a Antiga casa de Siza e a Casa do Moleiro


A casa da família do arquiteto Álvaro Siza, na Rua Roberto Ivens, em Matosinhos, será classificada como Monumento de Interesse Municipal. A decisão foi tomada pelo Executivo Municipal, na passada quarta-feira, na reunião pública, que decorreu no Centro Social e Paroquial Padre Ângelo Ferreira Pinto, em Perafita, seguindo uma estratégia de descentralização. Construída em meados do século XIX, a casa foi remodelada em 1961 pelo próprio Álvaro Siza, a pedido dos seus pais. Em 2007, o imóvel foi adquirido pela Câmara de Matosinhos que, depois de uma empreitada de reabilitação, também supervisionada por Álvaro Siza, ali instalou, em 2009, o Centro de Documentação Álvaro Siza. No mesmo espaço funcionou a sede da Casa da Arquitectura até 2017, ano em que se transferiu para as atuais instalações, na Real Vinícola. Já este ano, a casa transformou-se em Residência Artística para acolher investigadores, curadores e arquitetos. Para o efeito, foram necessárias obras de adaptação, que foram acompanhadas por Álvaro Siza. O investimento foi realizado e suportado pela autarquia. O espaço, gerido pela Casa da Arquitectura – Centro Português de Arquitectura, assume-se como um polo dinamizador do estudo e investigação em torno da arquitetura contemporânea e dos acervos que se encontram ao cuidado do arquivo da instituição. Também a Casa do Moleiro, em Angeiras de Cima, em Lavra, será classificada como Monumento de Interesse Municipal. Propriedade dos herdeiros de Celestino Dias da Costa e localizada nas ruas de 3 de maio e da Cruz, a casa de lavoura mantém as características comuns neste tipo de imóvel da região. À construção original, foram acrescentados, no início do século XX, elementos arquitetónicos que lhe conferiram uma maior importância no conjunto das casas do Lugar de Angeiras de Cima.