top of page

FITEI está de volta com teatro de expressão ibérica e um dos palcos é Matosinhos

O Festival Internacional de Teatro de Expressão Ibérica (FITEI) regressa a 15 de maio para apresentar em 14 palcos do Porto, Matosinhos, Gaia e Viana do Castelo, um total de 20 espetáculos. Há uma estreia em simultâneo em três salas (Matosinhos, Porto e Viana) – “Trajetória” por Teatro do Frio e coprodução FITEI.



Em conferência de imprensa para apresentação do programa, o diretor do FITEI, Gonçalo Amorim, explicou que nesta edição, subordinada ao tema “Trauma, Bravura e Fantasmagorias”, serão também assinalados os 50 anos do 25 de Abril, citando como um dos exemplos, o espetáculo de abertura do festival, “Luta Armada”, da companhia Hotel Europa, que sobe ao palco do Teatro do Campo Alegre, no Porto, nos dias 15 e 16 de maio.

Esta peça, uma coprodução com o FITEI, “continua a investigação da companhia sobre o passado recente, analisando os projetos políticos que recorreram a ações de violência como assaltos a bancos, colocação de bombas e sabotagens, entre outros, como forma de luta em Portugal, na segunda metade do século XX”.

No Teatro Municipal Constantino Nery, em Matosinhos, a artista chilena Ana Luz Ormazábal estreia “Maria Isabel”, a personagem central desta obra, que conta e recorda uma investigação que “nunca viu a luz do dia”.

“Esta médica chilena, prisioneira em Tres Álamos, enquanto membro do Movimento de Izquierda Revolucionaria (MIR), escreveu um manifesto feminista, juntamente com outras militantes, que abordava uma história discriminatória das mulheres num partido revolucionário”, contou o diretor do FITEI.

O Teatro do Frio apresenta “Trajetória”, uma performance audiovisual que emerge da recolha de sons e imagens, tecendo uma linha imaginária através dos trilhos percorridos em bicicleta por Rodrigo Malvar (sonoplasta e performance) e Gonçalo Mota (cineasta e antropólogo) durante as expedições do projeto de pesquisa Gyrovagus.

Esta é uma estreia e coprodução FITEI que passa por três salas distintas – Central Elétrica (16 maio), Teatro Municipal da Matosinhos (17 maio) e pelo Teatro Municipal Sá de Miranda, em Viana do Castelo (19 maio).

Kommentare


bottom of page